RN elege representantes militares para Assembleia, Câmara e Senado - 09/10/2018

Militares são eleitos para casas legislativas em todo o país

 CORONEL AZEVEDO, GENERAL GIRÃO E CAPITÃO STYVENSON. REPRODUÇÃO

 Os eleitores potiguares elegeram ontem (7) um representante militar para cada Casa Legislativa. Entre os 24 deputados estaduais estará a partir de 2019 o coronel André Luiz Azevedo, que já foi, inclusive, Comandante Geral da Polícia Militar do estado. A representatividade dos oficiais também estará na Câmara Federal na pessoa do General Eliezer Girão (PSL), membro das Forças Armadas e ex-secretário de Segurança Pública do RN no governo Rosalba. Para o Senado, a representatividade dos militares está com o Capital da Polícia Militar Styvenson Valentim, ex-coordenador da Operação Lei Seca do estado.

O fenômeno não é só local, mais de 70 candidatos com patente militar foram eleitos em todo o país, ou seja, pelo menos 8% dos 961 candidatos militares que disputaram as eleições deste domingo conseguiram ser eleitos impulsionados por temas como a segurança pública e o combate à corrupção.

Esses candidatos acabaram se destacando em todos os estados e para todos os cargos em disputa, a começar pela Presidência da República, que será definida em segundo turno entre o capitão da reserva do Exército Jair Bolsonaro (PSL) e o professor Fernando Haddad (PT). A figura de Bolsonaro está diretamente ligada a este fenômeno. Pelo menos no RN, o General Girão e o Coronel Azevedo são do mesmo partido que Bolsonaro.

Regional e estadualmente, o cenário tende a confirmar nomes com patentes em registros eleitorais. Três estados vão eleger, em segundo turno, o novo governador com pelo menos um militar na disputa. No Rio de Janeiro, um resultado inesperado colocou o ex-fuzileiro naval Wilson Witzel (PSC), um novato na política, na disputa com o ex-deputado e ex-prefeito da capital Eduardo Paes, que concorre pelo DEM. Também há militares entre os nomes que concorrem ao governo de Rondônia e de Santa Catarina.

Ao todo, em um levantamento que considera apenas os que se declararam militares, é possível apontar pelo menos 79 nomes confirmados também para cadeiras no Congresso Nacional e nas assembleias legislativas.

 

***Com informações da Agência Brasil

Faça Seu Comentário:

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

 

Comentários

disse:

em 31/12/1969 - 09:12