Presente também à coletiva, o vice-procurador-geral eleitoral, Humberto Jacques, afirmou que as urnas são seguras e não foram violadas - 21/10/2018

TSE jamais subestimou impacto desastroso de notícias falsas, diz ministro

 Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

 Agência Estado

O ministro Tarcísio Vieira, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), afirmou há pouco que o tribunal jamais subestimou os impactos desastrosos de notícias falsas no processo eleitoral. “Notícias falsas catapultadas por recursos de alta tecnologia, principalmente em campanhas de curta duração”, disse durante entrevista coletiva neste domingo na sede do TSE, em Brasília.

Segundo Vieira, o TSE fez esforços para tornar a eleição de 2018 um ambiente fértil para circulação de ideias e destacou a preocupação da corte com as fakes news que questionam a segurança e confiabilidade das urnas eletrônicas. “TSE está especialmente preocupado com fake news que abalam e colocam desconfiança sobre a votação eletrônica e a justiça eleitoral”, disse.

Presente também à coletiva, o vice-procurador-geral eleitoral, Humberto Jacques, afirmou que as urnas são seguras e não foram violadas. “Em todas as urnas havia um lacre e em nenhuma delas ele foi quebrado ou adulterado”, disse.

Estão presentes na entrevista na sede do TSE, além da presidente da corte, ministra Rosa Weber, o ministro Tarcísio Vieira e o vice-procurador-geral eleitoral, o ministro de Segurança Pública, Raul Jungmann; o ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, Sergio Etchegoyen; a ministra da Advocacia-Geral da União, Grace Mendonça; o diretor de Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal, Elzio Vicente da Silva; e o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Claudio Lamachia.

Comente

Segundo Gustavo Bebianno, um eventual governo Bolsonaro poderá indicar o juiz Sérgio Moro, titular da Operação Lava Jato em Curitiba, para ministro do Supre - 21/10/2018

Bolsonaro quer Sérgio Moro no Supremo, afirma presidente do PSL

 Moro pode ir para o STF se Bolsonaro for eleito

 Agência Estado

O presidente do PSL, Gustavo Bebianno, afirma que uma das linhas de um eventual governo de Jair Bolsonaro será “discutir tabus”. Cotado para ser ministro da Justiça caso o capitão reformado seja eleito, Bebianno – que dedicou os últimos meses a coordenar a campanha de Bolsonaro –, afirma que entre os “tabus” brasileiros estão a Previdência, a legislação trabalhista e o Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo Bebianno, um eventual governo Bolsonaro poderá indicar o juiz Sérgio Moro, titular da Operação Lava Jato em Curitiba, para ministro do Supremo. Apesar do discurso de Bolsonaro contra o sistema político, o presidente do PSL admite fazer alianças com o MDB e o DEM.

Qual será o seu papel em um eventual governo Bolsonaro? 

Não sei nem qual vai ser a minha atuação e se vou ter um espaço no governo. Na hora certa, a gente vai tratar disso. Agora, o que importa são os dez dias de campanha (restam sete dias agora – a entrevista foi concedida na quinta-feira, 18). Estamos focados, fazendo um bom trabalho de comunicação, lembrando ao País o que significaria ter o PT de volta, o caos, a destruição, a corrupção. Como nós sabemos, os petistas não amam o Brasil, os petistas amam o PT.

Como será o PSL na Câmara?

Com petista não há papo, não há diálogo, porque petistas são o mal para o Brasil. Com eles, PSOL, PCdoB, com a extrema esquerda não haverá nenhum diálogo. Zero. O PDT do Ciro (Gomes) também acho difícil, talvez com um ou outro. A gente pensa menos no partido e mais em pessoas. Partidos são feitos por pessoas que, muitas vezes, se perdem dentro de uma estrutura viciada. O Congresso precisa de oxigênio.

Esse oxigênio passa pela presidência da Câmara?

A Câmara tem vida própria, e acho saudável que o presidente da Câmara não seja do PSL, apesar de ser legítimo o interesse dos membros do PSL pela vaga. Mas, com muita concentração de poder, na presidência da Câmara o partido acabaria se confundindo com a presidência do Executivo. De um modo geral, a gente precisa do Congresso para governar, então é importante que haja um bom diálogo.

De qual partido seria?

Um do centro, como MDB, DEM.

Poderia ser o Rodrigo Maia?

É um bom nome, não vejo nada contra.

Continuar com os mesmos partidos e as mesmas pessoas no Congresso não é continuar com o mesmo modus operandi de Brasília, tão criticado por Bolsonaro?

Não. Isso já mudou, mesmo antes de começar a nova legislatura, o novo governo. Esse paradigma já foi quebrado por um homem só, chamado Jair Bolsonaro. Ele sozinho elegeu 59 deputados federais. Infelizmente, sete não atingiram a cláusula de barreira. Então, são 52 deputados eleitos por um único homem, que carrega uma bandeira de um ideal de uma pátria livre democrática, livre da mentalidade arcaica, mesquinha, atrasada, imposta pela esquerda bolivariana que insiste em se apoderar do Brasil.

Há muitos partidos procurando o PSL?

Todo mundo nos procura. Essa votação tão contundente, maciça, e por termos feito tantos deputados federais e estaduais, evidentemente atrai outros parlamentares. Prefiro não mencionar nomes, mas estamos conversando. Evidentemente que da esquerda ninguém nos procurou, até porque eu não receberia.

Quais serão as prioridades de um eventual governo Bolsonaro?

O combate à violência de forma contundente. A redução da maioridade penal seria um desses itens. Nós achamos que qualquer ser humano acima de 12 anos de idade sabe exatamente o que está fazendo. O Brasil poderia trabalhar a redução da maioridade penal de 18 para 17 ou 16 (anos). Em países como a Inglaterra e EUA não há um mínimo de idade. Dependendo do nível de crueldade, esses jovens respondem pelos seus atos. Mas dentro da nossa realidade, talvez uma redução para, se não for possível, 16 anos, para 17, talvez no primeiro momento.

Como isso será feito?

Por projeto de lei, evidentemente passando pelo Congresso. Uma proposta da Presidência, ou de algum parlamentar nosso. Assim como a retaguarda jurídica de policiais, o excludente de ilicitude.

E o Estatuto do Desarmamento?

Na verdade, a gente quer fazer valer o referendo de 2005, em que a população optou pelo direito de posse de arma, porque sem uma arma de fogo é impossível o pleno exercício da legitima defesa. Então, quando Jair Bolsonaro menciona a posse de arma por cidadão comum, de bem, ele não usa isso como plano de redução da violência. Ele simplesmente considera razoável que cada ser humano possa defender a sua vida. E esse direito só pode ser exercido com arma de fogo.

Comente

MPRN identificou diversas patologias estruturais em vistoria técnica realizada em agosto - 21/10/2018

Ceará-Mirim: Prefeitura deve reformar escola interditada e realocar serviço para outro prédio

Ceará-Mirim: Prefeitura deve reformar escola interditada e realocar serviço para outro prédio

 O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) recomendou que a Prefeitura de Ceará-Mirim promova e conclua, em caráter de urgência, uma reforma na estrutura física do Centro de Educação Infantil Ruy Pereira dos Santos. A recomendação da 1ª Promotoria de Justiça da cidade é que as obras sejam concluídas preferencialmente antes do início do ano letivo de 2019.

 
Em vistoria técnica realizada no final de agosto de 2018, o MPRN identificou diversos problemas estruturais na unidade. Em no máximo de 15 dias, o município deverá alugar ou remanejar as atividades do estabelecimento de ensino para outro prédio, haja vista que os alunos estão sem aulas há 120 dias. Além disso, providências devem ser adotadas para a reposição das aulas em razão da interdição das instalações do referido estabelecimento de ensino.
 
As adequações estruturais apontadas pelo MPRN vão desde a recuperação de lajes, pilares e vigas com fissuras a recuperação de todas as paredes com fissuras e a remoção de gambiarras nas instalações e revisão nos quadros elétricos. Tambémdevem ser instalados extintores de incêndio, sinalização das saídas de emergência e de iluminação de emergência e remoção do botijão de gás de dentro da cozinha para área externa.
 
Para ver as demais providências que devem ser adotadas, clique aqui e confira a recomendação ministerial na íntegra.

Comente

Municípios não estavam realizando serviços de obrigação municipal - 21/10/2018

Caiçara do Norte e Galinhos: MPRN recomenda disponibilização de serviços de saúde

Caiçara do Norte e Galinhos: MPRN recomenda disponibilização de serviços de saúde

 O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) recomendou que as Prefeituras de Caiçara do Norte e Galinhos disponibilizem os serviços de saúde municipais obrigatórios. As recomendações foram publicadas na edição desta sexta-feira (19) do Diário Oficial do Estado (DOE). As Prefeituras têm prazo de 10 dias para disponibilizar as demandas necessárias.

 
Em Caiçara do Norte, a Promotoria de Justiça foi notificada que a Prefeitura está negando a realização do procedimento de monitoramento da pressão arterial, mesmo sendo um procedimento de média complexidade de responsabilidade municipal. A Promotoria também constatou que o Município realizou 52 procedimentos de monitoramento arterial através de pactos realizados com a Programação Pactuada e Integrada (PPI).
 
O MPRN recomenda que o Município assuma as responsabilidades na gestão dos procedimentos de saúde, garantindo a todos os moradores da cidade a prestação de procedimentos de média complexidade através do PPI, em especial o procedimento de Monitoração Ambulatorial de Pressão Arterial. Além disso, devem se abster de negar a realização de procedimentos que são atribuídos à municipalidade pelo Sistema único de Saúde (SUS).
 
Já em Galinhos, foi constatado que há pessoas com necessidade de receber suplementação alimentar e fraldas descartáveis em virtude de doenças. Dados os fatos, a Prefeitura deverá estabelecer uma Comissão Interinstitucional para avaliar e manter o cadastro de pacientes que precisam de fórmulas especiais, como é o caso da suplementação. Adicionado a isso, o Poder Executivo Municipal deve disponibilizar complementação alimentar e fraldas para todos os pacientes que tiverem a prescrição.
 
Confira aqui as recomendações na íntegra.

Comente

Eleições 2018 - 21/10/2018

TSE prepara anúncio de medidas de combate às fake news

A uma semana do segundo turno, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) marcou para hoje (21) à tarde uma entrevista à imprensa em que devem ser anunciadas medidas de combate à disseminação de notícias falsas (fake news) nas redes sociais. A entrevista ocorre no momento de acirramento de acusações entre as campanhas de Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

Além da presidente do TSE, ministra Rosa Weber, deverão participar da entrevista os ministros Raul Jungmann, da Segurança Pública, e Sérgio Etchegoyen, do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, a advogada-geral da União, Grace Mendonça, e o diretor-geral da Polícia Federal, Rogério Galloro.

No TSE, há decisão para abertura das investigações em torno das denúncias sobre a existência de empresários que financiariam um esquema criminoso para a propagação de fake news anti-PT via WhatsApp. A Polícia Federal e a Procuradoria-Geral Eleitoral também estão nas apurações.

A semana que passou foi tensa, pois Haddad acusou Bolsonaro de estar por trás do esquema. Os adversários trocaram acusações. Bolsonaro negou envolvimento. Pelo Twitter, o candidato do PSL afirmou que não tem controle sobre apoios voluntários e que o PT não está sendo prejudicado por fake news, e sim pela “verdade”.

Partidos políticos, que apoiam ambos os candidatos, recorreram à Justiça Eleitoral em busca de providências. O PT pediu ao TSE para declarar Bolsonaro inelegível por 8 anos com base nas denúncias publicadas na imprensa.

Comente

Eleições 2018 - 21/10/2018

ROSALBA E KADU CIARLINI PUXAM CARREATA EM APOIO A CARLOS EDUARDO E BOLSONARO EM MOSSORÓ

 A carreata começou no bairro Paredões e foi encerrada na Praça dos Esportes, Avenida Rio Branco (Foto: Divulgação)

 Uma carreata em apoio aos candidatos Carlos Eduardo (Governador) e Jair Bolsonaro (Presidente) ocorreu neste sábado (20) em Mossoró. A carreata partiu da Marechal Deodoro, no bairro Paredões, percorrendo os bairros Santo Antônio, Estrada da Raiz, Santa Delmira, Abolição, Nova Betânia e encerrando na Praça dos Esportes, Avenida Rio Branco.

“Essa é a carreata da virada, as pesquisas indicaram na semana passada o empate e essa grande festa já confirma a nossa virada. Mossoró viu hoje a sua maior movimentação política. Vamos juntos, fazer essa parceria com o Governo Federal, com boa gestão e um Governo aliado para mais investimentos e recursos para o Rio Grande do Norte”, defendeu Kadu.

“Eu preciso dizer da emoção que vi hoje. O povo mostrando a sua força. O povo que quer mudança. Um Brasil sério, com honestidade, em defesa da família, um futuro melhor para todos nós”, discursou Rosalba.

A carreata contou também com a presença da deputada estadual Larissa Rosado (PSDB), do médico Dr. Daniel (PSL), além da vice-prefeita Nayara Gadelha (Progressistas). Fonte A Fonte.

Comente

Eleições 2018 - 21/10/2018

GRANDE CARREATA A FAVOR DE CARLOS EDUARDO E BOLSONARO MOVIMENTA PARNAMIRIM, RN

 Pelo menos 500 veículos participaram do ato político na cidade Trampolim da Vitória (Foto: Divulgação)

 Neste sábado, dia 20, o candidato a governador Carlos Eduardo comandou uma grandiosíssima carreata em Parnamirim, na Grande Natal em favor da campanha de Jair Bolsonaro para presidente da República. Já o deputado federal eleito General Girão e o deputado estadual eleito Coronel Azevedo, líderes bolsononaristas no RN pediram votos para Carlos Eduardo. Pelo menos 500 veículos participaram do ato político na cidade “Trampolim da Vitória”. A Fonte.

 

 

Comente

Eleições 2018 - 21/10/2018

TSE suspende propaganda do PT contra Bolsonaro: “Ultrapassou os limites da razoabilidade”

 Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

 O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) suspendeu propaganda eleitoral do candidato Fernando Haddad (PT), veiculada nos dias 16 e 17 de outubro, em que o candidato Jair Bolsonaro (PSL) é apresentado como favorável à tortura.

De acordo com a decisão do ministro Luís Felipe Salomão, do TSE, a peça “ultrapassou os limites da razoabilidade e infringiu a legislação eleitoral”.

O magistrado acatou pedido protocolado pela campanha de Jair Bolsonaro (PSL).

“A distopia simulada na propaganda, considerando o cenário conflituoso de polarização e extremismos observado no momento político atual, pode criar, na opinião pública, estados passionais com potencial para incitar comportamentos violentos”, escreveu o ministro.

Salomão entendeu ainda que a peça televisiva tem mesmo potencial para “criar, artificialmente, na opinião pública, estados mentais, emocionais ou passionais”.

O programa veiculado na última semana pela campanha de Haddad apresenta discursos de Bolsonaro no qual ele demonstra sua admiração do presidenciável por Carlos Alberto Brilhante Ustra, coronel chefe de órgãos de repressão política durante o regime nos anos 70.

No programa eleitoral petista, cenas do filme Batismo de Sangue, dirigido por Helvécio Ratton, de 2007, com um personagem nu sendo torturado com choque ilustram as perguntas “Você sabe o que é tortura? Isso é tortura”.

As imagens são intercaladas pelo depoimento da escritora e militante Maria Amélia de Almeida Teles, conhecida como Amelinha Teles. No testemunho, ela diz que foi torturada pelo coronel Ustra e que ele levou a filha dela, de cinco anos, para vê-la após uma sessão de sevícia.

“O momento de maior dor foi o Ustra levando os meus dois filhos na sala de tortura, onde eu estava nua, vomitada, urinada”, disse Amelinha no programa eleitoral.

Em 2005, a família Teles moveu uma ação civil declaratória contra o coronel, pedindo que ele fosse reconhecido como torturador. Em 2008, a solicitação foi acatada e Ustra foi o primeiro agente da ditadura a ser declarado torturador pela Justiça. Ustra morreu em 2015.

Como mostrou a Folha, o programa repercutiu nas buscas do Google, que registrou um aumento repentino na procura do nome do militar reformado. Fonte Blog do BG.

Comente

Eleições 2018 - 21/10/2018

Bolsonaro defende autonomia política do BC e fim da reeleição

 Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

 O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, defendeu hoje (20) a autonomia política do Banco Central (BC) e a manutenção de um tripé macroeconômico no país. Ele concedeu uma rápida entrevista à imprensa no Jardim Botânico, zona sul do Rio de Janeiro, onde gravou programa eleitoral da campanha no segundo turno.

Perguntado se tem intenção de manter no cargo o presidente do BC, Ilan Goldfajn, caso seja eleito, o candidato afirmou que a decisão cabe ao economista Paulo Guedes. “Nem tudo tem que ser mudado do governo Temer. O que está dando certo não tem que ser mudado, mas tem muita coisa errada também”, disse Bolsonaro sem citar exemplos de medidas malsucedidas adotadas pela gestão atual.

Reeleição

Na entrevista, o presidenciável também defendeu o fim da reeleição e a redução do número de parlamentares no Congresso Nacional. “Fala-se muito em reforma política, mas o presidente não tem autoridade para tal. Cada parlamentar vota de acordo com seu interesse. Da minha parte, vou conversar com o Parlamento com vistas a uma reforma. Acabar com o instituto da reeleição e reduzir de 15% a 20% a quantidade de parlamentares”, disse.

Indústria

Para o candidato do PSL, o país passa por um processo de desindustrialização e é preciso voltar a estimular o setor. “Não podemos continuar exportando minério de ferro e importando uma canoa de aço de volta. Temos que agregar valor, fomos desindustrializados nos últimos anos, e tem que se buscar uma maneira de incentivar e estimular para que a indústria seja próspera no Brasil.”

Bolsonaro também foi perguntado sobre nomes que vão compor o seu ministério, no caso de ele ser eleito. Disse que pretende desmembrar o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Ele confirmou a intenção de indicar o tenente-coronel da reserva Marcos Pontes para o comando do Ministério da Ciência e Tecnologia.

Política externa

Ao falar sobre o Mercosul, o candidato afirmou que não se pode “jogar para o alto” o acordo. “O que não pode é continuarmos usando acordos como esse em função de interesses ideológicos como o PT fez”, criticou. Ele defendeu a assinatura de acordos bilaterais pelo Brasil. “Vamos partir para o bilateralismo onde for possível. Conversei com o [ Mauricio] Macri [presidente da Argentina], ontem com o do Paraguai, encontrei senadores do Chile. Vamos buscar fazer acordos com ao países da América do Sul sem o viés ideológico.”

Sobre comparações feitas entre ele e presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, Bolsonaro respondeu: “Trata-se de querer um Brasil grande assim como ele quer uma América grande.”

O candidato fez elogios ao presidente norte-americano. “Ele diminuiu a carga tributária do setor produtivo, foi criticado, mas isso gerou emprego e atraiu novas empresas de fora. A Inglaterra fez isso há 20 anos. Admiro muito ele [Trump] por isso aí, ou vão querer que eu admire [Nicolás] Maduro [presidente venezuelano] ou o governo cubano?”

Jair Bolsonaro comentou ainda a morte do jornalista saudita Jamal Khashoggi, que desapareceu no dia 2 de outubro após ir ao consultado de seu país em Istambul, na Turquia, para buscar documentos. Segundo a Procuradoria-Geral da Arábia Saudita, Khashoggi morreu em uma briga dentro do consultado. A versão contrasta com a dos veículos de imprensa turcos e americanos, que indicam uma execução de Khashoggi por agentes sauditas próximos do príncipe herdeiro Mohammed bin Salman. “Se comprovado, foi assassinato. Não tenho palavras para repudiar uma ação como essa”, disse Bolsonaro.

Agência Brasil

Comente

De acordo com a secretária, enquanto Fátima apoia Fernando Haddad (PT), Jair Bolsonaro – presidenciável do PSL apoiado por Carlos Eduardo – “já é pre - 21/10/2018

“Fátima está vivendo no incrível mundo de Bob”, diz mulher de Carlos Eduardo

 Carlos Eduardo e sua esposa, a secretária Andréa Ramalho

 A secretária de Políticas Públicas para as Mulheres de Natal, Andréa Ramalho, mulher do candidato do PDT ao Governo do Estado, Carlos Eduardo Alves, afirmou nesta sexta-feira, 19, em vídeo compartilhado no microblog Twitter, que a adversária do seu marido no segundo turno, Fátima Bezerra (PT), “está vivendo no incrível mundo de Bob”.

De acordo com a secretária, Jair Bolsonaro – presidenciável do PSL apoiado por Carlos Eduardo no segundo turno – “já é presidente do Brasil”. “A candidata do lado de lá parece que está vivendo no incrível mundo de Bob, um mundo irreal, fantasioso e mentiroso. Fátima Bezerra, acorde, minha filha. Bolsonaro já é presidente do Brasil”, disse Andréa.

Apoiadora de Fernando Haddad (PT), Fátima Bezerra fez duras críticas a Carlos Eduardo no debate promovido pela TV Band Natal nesta quinta-feira, 18, ao criticar aspectos das gestões dele na Prefeitura do Natal. A agressividade não agradou à mulher do candidato, que disse estar “engasgada” com o tom adotado pela oponente.

“Tenho certeza que muitas pessoas estão sentindo o mesmo que eu: se sentiram atacadas, desrespeitadas. (…) Atacando (sic) Carlos Eduardo o tempo todo, chamando ele de mentiroso. Quem muito usa disso cuida. Todos nós sabemos quem são os mentirosos dessa história. A verdade sempre aparece e vai aparecer no dia 28, com o apoio do cidadão de bem que quer e acredita em um governo pautado em princípios éticos, princípios morais, um governo sério e comprometido com o povo e que dê resposta para o que o povo quer e precisa”, frisou a secretária.

Por acreditar que Bolsonaro será eleito presidente da República, Andréa Ramalho defendeu a eleição de Carlos Eduardo no Rio Grande do Norte. “O Rio Grande do Norte precisa de um governador alinhado com o presidente para fazer as mudanças que o Estado precisa. O nosso estado não quer virar uma Venezuela com o governo do PT. O nosso estado quer ser próspero, quer desenvolvimento. O Estado vai mostrar isso nas urnas”, emendou.

No vídeo, aparentemente destinado a apoiadores da candidatura, a mulher do candidato do PDT pede união como “resposta” ao que classificou como agressões feitas por Fátima durante o debate. “Vamos no dia 28 votar 12 e dar a resposta que a candidata do PT está precisando para aquelas agressões que ela fez ontem naquele debate. Agressões a nós, ao nosso povo, aos colaboradores que conhecem Carlos Eduardo, que sabem quem ele é. Junte-se a nós, me dê a sua mão e vamos derrotar o PT no Rio Grande do Norte”, finalizou.

Comente

No pedido de prorrogação, a polícia diz que ainda precisa “deslindar as notícias nos autos quanto ao envolvimento de facções criminosas, a exemplo do PC - 21/10/2018

PF pede prorrogação de prazo de 2º inquérito sobre facada em Bolsonaro

 Jair Bolsonaro foi esfaqueado no início de setembro

 Agência Brasil

A Polícia Federal (PF) pediu a prorrogação do prazo para concluir o segundo inquérito que investiga o ataque ao candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL). Os policiais querem investigar a “participação de terceiros ou grupos criminosos” no atentado ao político, diz documento, enviado à Justiça na quinta-feira, 18.

No início de setembro, durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG), Bolsonaro levou uma facada na barriga. O autor do ataque, Adélio Bispo de Oliveira foi preso e confessou o crime. O candidato foi submetido a duas cirurgias e ainda se recupera do ataque.

No pedido de prorrogação, a polícia diz que ainda precisa “deslindar as notícias nos autos quanto ao envolvimento de facções criminosas, a exemplo do Primeiro Comando da Capital – PCC, por detrás da ocorrência delituosa”, diz o pedido encaminhado à Justiça de Minas Gerais.

A polícia diz ainda que precisa encerrar as diligências relacionadas às circunstâncias da estada de Adélio Bispo de Oliveira, na Câmara dos Deputados, mediante perícia técnica no sistema de controle de acesso da Casa.

Os policiais também investigam a acusação de que os advogados de Adélio teriam praticado o crime de integrar facção criminosa.

Após ser preso, Adélio confessou a autoria do crime nas três ocasiões em que foi ouvido pela PF. No 1º inquérito, a PF concluiu que Oliveira agiu sozinho. Agora RN.

Comente

Candidato defende eleição dele e de Bolsonaro presidente - 21/10/2018

“RN não pode ir na contramão do Brasil”, diz Carlos Eduardo

 Ao comandar carreata neste sábado (20) em Parnamirim, o candidato a governador pelo PDT, Carlos Eduardo Alves, alertou que para o RN seria fundamental a eleição dele e do presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro.  O Rio Grande do Norte não pode ir na contramão do Brasil”, disse Carlos Eduardo.

Carlos Eduardo disse que o esforço popular na reta final é a garantia de sua vitória sobre a adversária, Fátima Bezerra, do PT.

Segundo a organização da caravana, pelo menos 500 veículos acompanharam Carlos Eduardo e líderes bolsononaristas como o deputado federal eleito General Girão e deputado estadual eleito Coronel Azevedo. Fonte Portal Noar.

Comente

Eleições 2018 - 20/10/2018

Simpatizantes de Bolsonaro e Haddad organizam atos em todo país

A uma semana do segundo turno das eleições, movimentos políticos e de ativistas preparam uma série de manifestações em todo país.  

Neste fim de semana devem ser realizados protestos em defesa e com críticas aos dois candidatos à Presidência da República - Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

Os organizadores programaram locais distintos, embora em algumas situações nas mesmas cidades.

Para hoje (20), estão previstas manifestações em todos os estados contra o fascismo e a favor da democracia, pelos direitos humanos e em defesa da liberdade de expressão.

Movimentos de mulheres de distintos segmentos, entre eles Mulheres Unidas contra Bolsonaro, utilizaram as redes sociais para divulgação dos protestos.

Nos convites para as manifestações, críticas às propostas apresentadas pelo candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, e referências positivas ao candidato do PT ao Palácio do Planalto, Fernando Haddad.

No site do PT, o partido chama os protestos de hoje de “manifestação da virada”.  

Para amanhã (21) estão programadas manifestações em todo país contra o comunismo e o retorno do PT, entre os organizadores do Movimento Brasil Livre (MBL).

Em vídeos, divulgados nas redes sociais, apoiadores convidam para os protestos e, ao final, aparece Bolsonaro com seu slogan: “Brasil acima de tudo e Deus acima de todos”.

Nas redes sociais de Bolsonaro e dos filhos dele, há referências às manifestações de domingo (21).

Comente

Eleições 2018 - 20/10/2018

Bolsonaro grava programa eleitoral e intensifica campanha nas redes

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, deve sair de casa hoje (20) apenas para gravar participação no programa do horário eleitoral. Nos últimos dias, ele tem permanecido no condomínio onde mora na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Ali, cuja segurança foi reforçada entre quinta e sexta-feira.

Porém, nas redes sociais, Bolsonaro e os filhos Flávio, senador eleito pelo Rio de Janeiro, e Carlos, recém-eleito por São Paulo para a Câmara dos Deputados, intensificam a campanha eleitoral. O presidenciável optou falar em educação, enquanto os filhos fizeram críticas ao PT.

Em um post fixo, o candidato do PSL ressalta que 40% dos universitários são “analfabetos funcionais”. Segundo ele, a alternativa para resolver o problema é fortalecer a educação de base, sem “doutrinação” ou orientação para a militância.

“Ninguém quer saber de aluno sendo doutrinado em sala de aula para se tornar militante. Queremos bons profissionais, isso que dará retorno à sociedade”, disse.

Fake News

Flávio Bolsonaro destacou a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que negou pedido do PT para quebrar os sigilos bancário e fiscal dos supostos envolvidos no esquema suspeito de disseminar notícias falsas anti-PT via WhatsApp. Mas aceitou abrir ação para investigar as denúncias.

O senador eleito postou um trecho da decisão: “lastreada em matérias jornalísticas, cujos elementos não ostentam aptidão para (...) demonstrar a plausibilidade da tese”.

Comente

Eleições 2018 - 20/10/2018

Metade dos deputados estaduais e distritais conseguem se reeleger

Dos 1.059 deputados estaduais e distritais eleitos no país em 2014, 535 foram reconduzidos ao cargo nas eleições de 2018. Isso significa que 50,5% deles conseguiram se reeleger. Se forem considerados apenas os que tentaram voltar ao cargo, a taxa de sucesso chega a 70,2% do total.

Com isso, a renovação ficou em 49,5% no total de cadeiras nas Assembleias Legislativas dos estados e na Câmara Distrital do DF – o maior percentual desde 2006.

Apesar disso, o índice se mantém próximo do registrado nas últimas quatro eleições, sempre perto de 50%.

Se forem analisados apenas os deputados que realmente tentaram uma vaga, ou seja, excluídos os que não concorreram, o índice de reeleição é ainda maior. Sete de cada dez eleitos em 2014 – e que concorreram novamente agora – tiveram sucesso na tentativa. A taxa de sucesso é ligeiramente menor que a de 2014 (73,9%) e a de 2010 (73,4%). Em 2006, a taxa foi de 68% no país.

G1

Comente

Eleições 2018 - 20/10/2018

Raquel Dodge diz ao Supremo que Lula não pode conceder entrevistas na prisão

 Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

 A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou parecer hoje (19) ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o pedido feito pelos jornalistas Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, e Florestan Fernandes para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva conceda entrevistas dentro da prisão.

No parecer, a procuradora defendeu a liberdade de expressão e de imprensa, mas ressaltou que, em algumas situações, há a possibilidade de proibir que presos concedam entrevistas.

Para Dodge, entre as finalidades da condenação de presos está o objetivo de cumprimento da pena “com discrição e sobriedade”. “O fato é que ele [Lula] é um detento em pleno cumprimento de pena e não um comentarista de política”, disse a procuradora.

“Conclui-se que a proibição de que Luiz Inácio Lula da Silva conceda entrevistas em áudio e/ou vídeo, apesar de ser restritiva da sua liberdade de expressão, é medida proporcional e adequada a garantir que as finalidades da pena a ele imposta sejam concretizadas, sendo, portanto, compatível com a ordem jurídica do país”, disse.

No início do mês, uma guerra de decisões liminares sobre os pedidos terminou com a decisão do presidente do STF, Dias Toffoli, que impediu a concessão das entrevistas.

Desde 7 de abril, Lula cumpre pena de 12 anos e um mês de prisão em Curitiba, imposta pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá (SP).

Agência Brasil

Comente

Eleições 2018 - 20/10/2018

“É difícil ligar Bolsonaro a crime no caso do WhatsApp”, diz fonte do MP

 Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo

 É difícil configurar, até o momento, um eventual crime passível de impugnação da chapa encabeçada pelo candidato do PSL, Jair Bolsonaro, no caso relatado pelo jornal “Folha de S.Paulo” de empresas comprando pacotes de disparos em massa de mensagens contra o PT no WhatsApp, disse à Reuters nesta quinta-feira 18 uma fonte do Ministério Público com larga experiência em redes sociais.

A fonte, que pediu para não ser identificada, disse que é preciso, além das provas de atuação das empresas em favor de um candidato, demonstrar a ligação direta de quem atuou dessa forma e a campanha beneficiada.

Reportagem publicada na Folha nesta quinta relata que empresários têm bancado a compra de distribuição de mensagens contra o PT por Whatsapp, em uma prática que se chama pacote de disparos em massa de mensagens, e estariam preparando uma operação para a próxima semana, antes do segundo turno.

Na avaliação da fonte à Reuters, o valor de R$ 12 milhões mencionado pela Folha para se impulsionar conteúdo via essa rede social é irreal.

A coligação encabeçada pelo petista Fernando Haddad, adversário de Bolsonaro no segundo turno, entrou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com pedido de investigação sobre o conteúdo da reportagem e, caso os fatos sejam comprovados, a inelegibilidade de Bolsonaro.

IstoÉ

Comente

Mega Sena - 20/10/2018

Mega-Sena pagará hoje prêmio de R$ 3 milhões

 Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

 Quem acertar as seis dezenas da Mega-Sena no concurso 2089, a ser realizado neste sábado (20), deverá receber um prêmio de R$ 3 milhões. As informações são do site da Caixa Econômica Federal.

A Mega-Sena paga milhões para o acertador dos 6 números sorteados.

Ainda é possível ganhar prêmios ao acertar 4 ou 5 números dentre os 60 disponíveis no volante de apostas.

Para realizar o sonho de ser o próximo milionário, o apostador deve marcar de 6 a 15 números do volante, podendo deixar que o sistema escolha os números (Surpresinha) e/ou concorrer com a mesma aposta por 2, 4 ou 8 concursos consecutivos (Teimosinha).

Agência Brasil

Comente

Homem é baleado por criminosos, bate motocicleta em muro e morre na Zona Norte de Natal - 20/10/2018

Homem é baleado por criminosos, bate motocicleta em muro e morre na Zona Norte de Natal

Por G1 RN

 Homem foi baleado enquanto pilotava moto e bateu contra muro, em Natal — Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi

  Um homem morreu após ser baleado enquanto pilotava uma motocicleta, na tarde desta sexta-feira (19), no bairro Igapó, Zona Norte de Natal. Após ser atingido, ele bateu em um muro.

A vítima foi identificada como Pablo Angelo da Silva, de 22 anos. Ele passava pela rua Salvador, quando criminosos que estavam em outra moto dispararam algumas vezes. Testemunhas preferiram não dar entrevista

Após a batida, parte do muro desabou. O corpo do homem ficou dentro de um terreno baldio, de onde foi recolhido pelo Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep).

De acordo com a família, Pablo era usuário de drogas e já tinha sofrido uma tentativa de assassinato cerca de dois anos atrás. Ele tinha um filho pequeno e morava com a mãe próximo ao local onde aconteceu o crime.

A Polícia Civil deverá usar imagens de câmeras de segurança de um estabelecimento próximo para identificar os suspeitos. Ninguém foi preso até o momento.

Comente

Ao todo, seis pessoas foram presas e mais de R$ 2 milhões em produtos ilícitos apreendidos em uma casa e uma granja de alto padrão. Divisão de Combate ao Cr - 20/10/2018

Suspeito de movimentar até R$ 20 milhões por mês com o tráfico de drogas no RN e PB é preso na Grande Natal

Por Anderson Barbosa, G1 RN

 Entre os objetos apreendidos em Cidade Verde, estão vários cartões de crédito, R$ 12.500 em dinheiro, celulares e relógios  — Foto: Polícia Civil do RN/Divulgação

 Uma ação conjunta, envolvendo policiais civis da Divisão Especializada de Investigação e Combate ao Crime Organizado do Rio Grande do Norte (Deicor) e da Divisão de Homicídios da Paraíba, prendeu um homem suspeito de participar de uma quadrilha de roubo a bancos e de comandar o tráfico de drogas em várias cidades nos dois estados, principalmente em Assu, no Oeste potiguar, e em Patos, no sertão paraibano.

O preso é Valdenor Xavier de Sousa Júnior, de 37 anos, o ‘Júnior dos Remédios’. Ele é um dos 92 detentos que fugiram da Penitenciária de Segurança Máxima PB1, em João Pessoa, há pouco mais de um mês.

Titular da Deicor, o delegado Odilon Teodósio disse ao G1 que Júnior dos Remédios é responsável por movimentar entre R$ 10 e 20 milhões por mês.

Ao todo, seis pessoas foram presas e mais de R$ 2 milhões em produtos ilícitos apreendidos em uma casa de alto padrão em Nova Parnamirim e em uma granja luxuosa localizada na zona rural de Nísia Floresta, ambas na Grande Natal. A operação começou na tarde da sexta-feira (19) e só foi concluída na madrugada deste sábado (20).

A casa onde o suspeito estava foi alugada há pouco tempo, após a fuga da penitenciária. Fica no conjunto Cidade Verde, em Nova Parnamirim, bairro de Parnamirim. Lá, ainda de acordo com o delegado, também foram presos Ernani Fernandes Brandão Neto, que também escapou do PB1, e duas mulheres. “Na casa, que é de alto padrão, apreendemos vários cartões de crédito, R$ 12.500 em dinheiro, aparelhos celulares, relógios, e uma caminhonete”, acrescentou.

Na sequência da operação, Odilon disse que os agentes chegaram a uma granja na comunidade de Lagoa Azul, na zona rural de Nísia Floresta, onde dois homens também foram presos. Entre eles, um taxista que chegou transportando 2 quilos de cocaína. “Só de produtos eletrônicos, apreendemos quase R$ 1 milhão nessa granja, que é bastante luxuosa”, complementou. 

Comente