Eleições 2018 - 16/10/2018

Ataque de Haddad ao Bispo Macedo provoca indignação em mais de 140 líderes religiosos, inclusive, de diferentes correntes

 Foto: Amanda Perobelli/Reuters 09.10.2018

 O ataque do candidato à Presidência da República Fernando Haddad contra o Bispo Edir Macedo, líder espiritual da Igreja Universal do Reino de Deus, provocou um inédito movimento de solidariedade por parte de lideranças religiosas de diferentes correntes.

Até o momento, 147 representantes e membros de denominações de todo o país repudiaram o atentado do ex-prefeito de São Paulo à Fé Cristã, assinando uma carta de apoio à Universal.

Na manhã desta sexta-feira (12), durante uma entrevista coletiva concedida após participar de uma missa em uma igreja católica na Zona Sul da capital paulista, o candidato pelo Partido dos Trabalhadores (PT) afirmou que o apoio do Bispo Macedo à candidatura de Jair Bolsonaro seria provocado pela “fome de dinheiro” e ainda chamou o líder da Universal de “charlatão fundamentalista”.

Para o Apóstolo Estevam Hernandes Filho, fundador da Igreja Apostólica Renascer em Cristo, a declaração de Haddad não foi um ataque apenas ao Bispo Macedo, mas contra todos os cristãos.

“Essa fala inconsequente demonstra a intolerância, e nós que cremos no amor, na tolerância, a repudiamos com veemência. Ela é inaceitável no momento que estamos passando, lutando para preservar a democracia no País, onde todas as crenças e ideologias precisam ser respeitadas”, declarou o líder da Renascer.

Para ele, “houve um grande desrespeito à Fé e à integridade de um homem de Deus, que é o Bispo Macedo”.

Outra liderança que se solidarizou com o fundador da Universal, foi o presidente do Ministério Sara Nossa Terra, Bispo Robson Rodovalho.

“É lamentável ver o PT, mais uma vez, discriminar os evangélicos e ainda semear a divisão entre as igrejas. Estamos em um país democrático, onde temos liberdade de escolha”, explicou o fundador da Sara Nossa Terra.

Mais uma denominação religiosa que assina a carta de apoio ao Bispo Macedo e à Universal, é a Assembleia de Deus Ministério Santo Amaro, que reúne mais de 800 igrejas, e foi representada pelo Pastor Galdino Júnior.

“Acho inadmissível a fala do candidato do PT, pois ele não desrespeitou somente uma das principais lideranças evangélicas do país, mas mostra claramente sua leviandade para atacar todas as instituições evangélicas que há muitos anos vêm realizando um trabalho social que é dever do governo”, explica o pastor, acrescentando que comprova “um desequilíbrio notável para um homem que pleiteia o cargo mais importante do país”.

Para o Pastor Edson Rebustini, presidente do Conselho de Pastores de São Paulo, “é vergonhoso o candidato à presidência da República Fernando Haddad usar de ofensas e mentiras contra o Bispo Edir Macedo e a igreja cristã no Brasil. Católicos e evangélicos estão unidos em favor da família e contra a máquina de corrupção que o PT criou para financiar seu projeto de poder.”

Leia a relação das lideranças e membros de igrejas que assinaram carta de apoio ao Bispo Edir Macedo e à Universal:

(mais…)

Comente

Eleições 2018 - 16/10/2018

FOTOS: Pichações da facção criminosa Comando Vermelho ameaçam de morte em Fortaleza quem votar em Bolsonaro

Muros de casas na rua Joaquim Frota, no bairro Sapiranga, em Fortaleza-CE, foram pichados com mensagens que ameaçam eleitores da região que pretendem votar no candidato à Presidência, Jair Bolsonaro (PSL).

“Quem votar no Bolsonaro, vai morrer”, dizia uma das mensagens encontradas pela reportagem do O POVO Online. Outra pichação, com assinatura da facção do Comando Vermelho Rogério Lemgruber (CVRL), repetia as ameaças ao eleitorado do militar da reserva.

 

 

 Mensagem de ameaça a eleitores do Bolsonaro tem assinatura de facção criminosa (Fotos: O POVO)

O candidato disputa a Presidência da República com Fernando Haddad (PT). No primeiro turno, o deputado obteve 46% dos votos válidos, enquanto o ex-prefeito de São Paulo teve 29%.

Em nota enviada ao O POVO Online, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que a Polícia Civil está investigando o caso. Além disso, o órgão acrescentou que apura as circunstâncias acerca do ocorrido para verificar a veracidade da mensagem.

O Povo

Comente

Eleições 2018 - 16/10/2018

Bolsonaro usa em programa eleitoral críticas de Cid Gomes ao PT

O programa eleitoral de Jair Bolsonaro vai explorar o vídeo das críticas feitas por Cid Gomes ao PT.

“Cid Gomes, irmão de Ciro Gomes, fala a verdade que o PT não aceita”, diz o locutor, ao introduzir o discurso do senador eleito.

“Tem que pedir desculpas, tem que ter humildade, tem que ter humildade e reconhecer que fizeram muita besteira”, afirma Cid no trecho exibido na propaganda do PSL.

A insistência de Cid diante das reações negativas da plateia também é exibida:

“É assim? Pois tu vai perder a eleição. Não admitir os erros que cometeram, isso é para perder a eleição e é bem feito. É bem feito perder a eleição. Vão perder feio, porque fizeram muita besteira, porque aparelharam as repartições públicas, porque acharam que eram donos de um país e o Brasil não aceita ter dono, é um país democrático. O Lula está preso, babaca. O Lula está preso. E vai fazer o quê? Isso é o PT, e o PT desse jeito merece perder. Babaca, vai perder a eleição.”

O locutor então conclui: “Nessa eleição, é o Brasil contra o PT”.

O Antagonista

Comente

Em postagem feita no Instagram, grupo de rapazes mostra camisa rasgada de uma escola e faz ameaça de morte. Três foram presos nesta terça (16). - 16/10/2018

PM prende suspeitos de ameaçar alunas de escola particular de Natal em rede social

Por G1 RN

 Postagem feita pelo grupo, na qual alunas de uma escola particular de Natal são ameaçadas — Foto: Reprodução/Instagram

 Postagem feita pelo grupo, na qual alunas de uma escola particular de Natal são ameaçadas — Foto: Reprodução/Instagram

 Policiais militares levaram para a delegacia, na manhã desta terça-feira (16), três jovens suspeitos de estarem fazendo algazarra no Aeroclube, no bairro Tirol, Zona Leste de Natal. O grupo fazia parte da torcida de um colégio que participa dos Jogos Escolares do Rio Grande do Norte (Jerns 2018). Entre os detidos, segundo a PM, estava um rapaz suspeito de fazer ameaças, por meio das redes sociais, contra alunas de uma escola particular da capital.

A postagem foi feita no Instagram e viralizou no início da semana. Nela, há uma foto na qual aparecem cinco jovens segurando três bonés e uma camisa rasgada com emblemas de uma escola particular da cidade. Abaixo da imagem, a ameaça:

kkkkkk oi meninas / não andem na rua com / as blusinhas do / (nome da escola) ou vc ira ser / abordada por esses / gatos ou morrer”.

 Jovens foram detidos no Aeroclube de Natal, suspeitos de estarem fazendo uma algazarra em uma partida dos Jerns — Foto: PM/Divulgação

 

Comente

Vínculo é renovado anualmente até o período máximo de oito anos. Ao todo, 3º Distrito Naval oferece 29 oportunidades em seis estados do Nordeste, sendo 9 - 16/10/2018

Marinha abre concurso para vagas temporárias com salários de R$ 11 mil no RN

Por G1 RN

 Comando do 3º Distrito Naval da Marinha, em Natal — Foto: Marinha do Brasil/Divulgação

 Comando do 3º Distrito Naval da Marinha, em Natal — Foto: Marinha do Brasil/Divulgação

 A Marinha do Brasil abriu processo seletivo para oficiais temporários do Comando do 3º Distrito Naval. Ao todo, são oferecidas 29 vagas para ensino superior distribuídas pelos estados de Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte. No RN, os aprovados para nove vagas serão lotados em Natal.

O salário bruto inicial é de cerca de R$ 11 mil, com gratificações inclusas. O Serviço Militar Voluntário de Oficiais (SMV-OF) tem um vínculo que pode durar até oito anos, sem a possibilidade de estabilidade.

Os candidatos interessados - homens e mulheres maiores de 18 anos no dia 31 de dezembro de 2019 - devem efetuar inscrição no site da Marinha do Brasil e escolher a opção "Serviço Militar Voluntário". As inscrições custam R$ 127 e seguem abertas até 31 de outubro.

Veja a distribuição de vagas no RN:

 

  • Nutrição (2)
  • Enfermagem (1)
  • Fisioterapia (1)
  • Comunicação Social – Jornalismo (1)
  • Psicologia (1)
  • Engenharia Ambiental (1)
  • Engenharia de Telecomunicações (1)
  • Engenharia de Produção (1)

Comente

Em São Paulo, maior consumidor do País e com mais postos pesquisados, o litro da gasolina subiu 0,67% na semana passada, de R$ 4,469 para R$ 4,499, em média - 16/10/2018

Rio Grande do Norte e outros quatro estados têm recuo no preço da gasolina

 Na média nacional, os preços médios avançaram 0,47% entre as semanas, de R$ 4,700 para R$ 4,722

 Agência Estado

O valor médio da gasolina vendido nos postos brasileiros subiu em 22 Estados brasileiros na semana passada, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), compilados pelo AE-Taxas. Apenas em Alagoas, Distrito Federal, Minas Gerais, Rio Grande do Norte e em Sergipe houve recuo entre as semanas.

Na média nacional, os preços médios avançaram 0,47% entre as semanas, de R$ 4,700 para R$ 4,722.

Em São Paulo, maior consumidor do País e com mais postos pesquisados, o litro da gasolina subiu 0,67% na semana passada, de R$ 4,469 para R$ 4,499, em média.

No Rio de Janeiro, o combustível saiu de R$ 5,070 para R$ 5,116, em média, alta de 0,91%.

Em Minas Gerais houve leve recuo no preço médio da gasolina de 0,04%, de R$ 4,953 para R$ 4,951 o litro.

Comente

Atual governador do Rio Grande do Norte diz que vai se dedicar para entregar um Estado equilibrado financeiramente ao seu sucessor no executivo estadual - 16/10/2018

Robinson Faria adota neutralidade para o segundo turno das eleições

 Robinson Faria

 O governador Robinson Faria (PSD) vai adotar a neutralidade no segundo turno das eleições para o Governo do Estado e Presidência de República. Com a tentativa frustrada de se reeleger ao cargo, ficando em terceiro lugar na disputa do primeiro turno, obtendo pouco mais de 190 mil votos, ele diz que vai se dedicar para entregar um Estado equilibrado financeiramente ao seu sucessor no executivo estadual.

“Vou ficar neutro. Não vou tomar posição política. Não quero falar bem ou mal dos candidatos envolvidos na disputa. Se o povo não me quis no segundo turno, cabe a mim ficar na neutralidade, e em silêncio. Também não vou me posicionar com relação aos que disputam a presidência”, disse Robinson Faria, em entrevista para a rádio 98 FM.

O segundo turno no Rio Grande do Norte será disputado por Fátima Bezerra (PT) e Carlos Eduardo Alves (PDT).

Com o término do mandato, ele pretende retornar ao setor privado a partir de 1 de janeiro de 2019. “Depois de 32 anos de vida pública, como sempre fui empresário, eu vou voltar para o setor privado. Quero cuidar da minha vida e dos meus filhos”, relata. No entanto, ele não descarta voltar para a vida a pública no futuro.

Robinson também reforça que irá entregar um Rio Grande do Norte melhor do que recebeu. “Vou trabalhar com motivação até o último dia de governo. Vou entregar um Estado muito melhor do que recebi. Realizei mil e duzentas obras, apesar de ter recebido um Estado falido, com sete anos de seca e sem ajuda da bancada federal”, diz.

Na opinião do atual chefe do executivo, o resultado adverso obtido nas urnas deste ano tem nome e sobrenome: atraso salarial. O Governo do Estado não cumpre com o calendário de pagamentos há dois anos. O 13º salário de 2017 de parte dos servidores ainda não foi pago. “O servidor puniu quem o protegeu. A minha opção, com o coração solidário, era perseverar – tentando vencer a crise para colocar a folha em dia – ou ter tomado a medida drástica que era de demitir até 20 mil servidores estaduais”, aponta.

Segundo Robinson Faria, o Governo do Estado poderia realizar o corte de servidores – comissionados e efetivos – com o objetivo de se adaptar aos ditames da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). “Quando se ultrapassa quatro quadrimestres acima do limite legal, o governador fica autorizado a demitir servidores comissionados e efetivos. Eu poderia, numa canetada, demitir 20 mil pessoas. O servidor que eu não demiti acabou não entendo minha posição. Ficaram com a sensação de raiva e revolta. Os atrasos de salários fizeram com que a população não votasse em mim. Joguei fora minha reeleição para proteger 20 mil servidores”, lamenta.

Ainda de acordo com o governador, a crise na segurança também afetou o resultado nas urnas. Em 2017, o Rio Grande do Norte registrou 68 homicídios por grupo de 100 mil habitantes, o que representa uma das taxas mais altas de todo o país. No entanto, ele avalia que combater a violência não deve ser uma obrigação apenas dos Estado. “O Brasil precisa discutir a segurança pública. É preciso discutir a legislação e o apoio financeiro para os Estados. É preciso que o Governo Federal, Estados e Municípios atuem de forma harmônica”, explica.

Sobre as realizações do governo, Robinson Faria aponta para a ampliação da rede de unidades hospitalares capacitadas para realizar cirurgias ortopédicas. Os hospitais regionais de Pau dos Ferros e Caicó, por exemplo, já promovem intervenções cirúrgicas.

O chefe do executivo também considera importante as ações para garantir segurança jurídica ao setor empresarial. “Vou entregar um Estado com segurança jurídica. E isso vai trazer novos investimentos; é uma ponte para o futuro. Mais de 70% da produção de energia eólica do Rio Grande do Norte nasceu no governo de Robinson Faria. Criamos as condições para que as empresas estrangeiras se instalassem por aqui”, finaliza. Fonte Agora RN.

Comente

Segundo ele, a reforma da Previdência está “formatada e pronta” - 16/10/2018

Temer diz acreditar na aprovação da reforma da Previdência este ano

Por Pedro Peduzzi/Agência Brasil

 

 O presidente Michel Temer disse ter havido uma “trama” para impedi-lo de completar as reformas pretendidas por seu governo, mas que isso não tira sua esperança de aprovar, ainda em 2018, a reforma da Previdência, bem como algumas medidas de simplificação tributária. Durante palestra ministrada nesta terça-feira (16) na Associação Comercial do Paraná, Temer manifestou-se contrário à convocação de uma Assembleia Constituinte – possibilidade aventada e já descartada por integrantes das equipes dos dois candidatos que concorrem à Presidência da República.

“Faltaram [para meu governo] as reformas da Previdência e a tributária. São duas reformas que eu completaria se não fosse uma trama montada lá atrás para me impedir de levar a reforma da Previdência. Naquele período, tínhamos os votos contados para aprovar a da Previdência, mas houve uma trama que impediu exatamente por conta dos privilégios”, disse o presidente.

Segundo ele, a reforma da Previdência está “formatada e pronta” para ser votada pelo Congresso Nacional. “Teremos dois meses e pouco para realizá-la, mas isso dependerá da vontade do presidente a ser eleito. Quem sabe consigamos fazê-la ainda neste ano”, disse o presidente. “E quem sabe consigamos fazer ainda este ano uma simplificação tributária, além de realizar a reforma previdenciária. Seria um fecho, como costumo dizer, de um governo reformista, que trouxe o país para o século 21. Reconheço que não será fácil, mas seria uma coisa extraordinária”, acrescentou.

Comente

Quadrilha acessou os caixas, mas não conseguiu violar os caixas eletrônicos - 16/10/2018

Bandidos invadem agência e tentam arrombar caixa eletrônico em Candelária

 Bandidos tentaram roubar um caixa eletrônico de uma agência do Banco Bradesco na madrugada desta terça-feira, 16, em Candelária, zona Sul de Natal. Os bandidos arrombaram a porta dos fundos por volta das 3h e com maçaricos tentaram abrir os terminais eletrônicos.

Porém, o bando que era composto por cinco pessoas não conseguiu acessar os valores, pois o sistema de segurança do local contatou o Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), que acionou a Polícia Militar (PM).

A quadrilha foi informada por outro membro que estava no estacionamento sobre a aproximação da PM e o grupo fugiu do local antes da chegada dos policiais. Durante a fuga, os bandidos estilhaçaram um dos vidros da entrada do banco. Os policiais realizaram rondas pela região, mas ninguém foi preso.

**Com informações da Polícia Militar

Comente

Eleições 2018 - 16/10/2018

Como votos em branco e nulos podem beneficiar Bolsonaro no 2º turno

Urna eletrônica: Votos brancos e nulos para presidente somaram 8,79% do total no primeiro turno da eleição de 2018

 TSE Votos brancos e nulos para presidente somaram 8,79% do total no primeiro turno da eleição de 2018

 Conquistar parte dos votos brancos e nulos é um dos desafios que o candidato à Presidência Fernando Haddad (PT) precisaria superar para vencer o líder no primeiro turno, Jair Bolsonaro (PSL).

Haddad tem 41% das intenções de voto, de acordo com a pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira, 15 de outubro. Bolsonaro tem 59%. Como a diferença na intenção de votos é alta – 18 pontos –, Haddad precisaria não apenas atrair os votos que foram para outros candidatos no primeiro turno, mas convencer alguns dos que votaram em branco e nulo a se posicionarem, segundo o sociólogo Thiago de Aragão, da Arko Consultoria.

Isso porque, na prática, esses votos ajudam quem está na frente na disputa - como não são contabilizados entre os votos válidos, facilitam a obtenção de maioria pelo líder nas pesquisas. A mesma lógica vale para as abstenções.

Embora historicamente o número de brancos e nulos sempre seja menor no segundo turno, os especialistas afirmam que não necessariamente a tendência vai se repetir no segundo turno em 2018, porque o pleito deste ano é extremamente atípico.

"A comparação (com outros anos) é problemática", explica o cientista político Fábio Wanderley Reis, professor da UFMG. "Estamos diante de uma situação sui generis."

Entre as características singulares do pleito deste ano está o fato de que as alianças partidárias e o tempo de TV tiveram muito menos importância do que em outros anos, por exemplo, com a internet e as redes sociais assumindo um papel muito maior.

 Neste ano, os nulos e brancos somaram 8,79% do total de votos no primeiro turno - um número que está na média dos registrados nas eleições presidenciais desde o fim da ditadura. O menor índice foi de 6,4% em 1989 e o maior, de 10% em 2002 e em 2014.

Em 2014, votos brancos e nulos somaram 10% do total no primeiro turno e caíram para 6% no segundo. Em 2010, eles foram 7,1% no primeiro turno e 6,7% no segundo.

Já as abstenções (pessoas que simplesmente não vão votar) tradicionalmente aumentam: foram 19% dos eleitores registrados no primeiro turno de 2014 e 21% no segundo.

De acordo com a última pesquisa Ibope, a intenção de nulos e brancos para o segundo turno é ligeiramente superior à registrada no primeiro, de 9%.

 Gráfico: O número de brancos e nulos costuma ser menor no segundo turno

Comente

Eleições 2018 - 16/10/2018

Análise: Pesquisas indicam que Bolsonaro é eficaz ao aumentar rejeição a Haddad

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro

 © Wilton Junior/Estadão O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro.

 A pesquisa Ibope/Estado/TV Globo divulgada nesta segunda-feira, 15, aponta Jair Bolsonaro com 59% das intenções de voto contra 41% para Fernando Haddad, considerando-se apenas os votos válidos. A diferença a favor do candidato do PSL é muito expressiva: são 18% de vantagem. Os números têm se mostrado estáveis. Napesquisa Datafolha de 10 de outubro, Bolsonaro obteve 58% das intenções de voto, enquanto que para Haddad este número foi de 42%. Considerando-se as margens de erro, nenhuma alteração significativa.

Entretanto, alguns dos indicadores na pesquisa Ibope podem ser observados com mais atenção. Note-se que a rejeição a Haddad agora é maior do que a de seu adversário: 47% dos pesquisados afirmam que não votariam nele em hipótese alguma enquanto que para Bolsonaro a rejeição é de 35%.

Considerando-se que a campanha eleitoral em rádio e televisão foi reiniciada, a pesquisa desta segunda-feiraparece indicar que Bolsonaro estaria sendo mais eficaz do que Haddad em provocar o aumento da rejeição a seu concorrente.

Este parece ser o resultado de campanhas em que as propostas de governo de ambos continuam sendo muito vagamente expostas e pouco exploradas pelos candidatos, que continuam apostando no ataque aos pontos que consideram negativos em seu concorrente. Campanhas que, desde o início, no primeiro turno, investem nos conflitos no campo moral e cultural e pouco ou quase nada nas questões econômicas e estruturais do Brasil. Mesmo com a retirada de Lula das imagens e a mudança nas cores, eliminando o tradicional vermelho do PT e adotando o verde-amarelo, o resultado para Haddad pouco apareceu.

Se o método é apostar no populismo na comunicação e na vaguidão de propostas, ao que tudo indica, Bolsonaro e sua equipe têm aplicado esta técnica com mais eficácia que Haddad e seu grupo.

A persistirem estes números, Bolsonaro pode vencer a corrida presidencial com larga margem de vantagem. E ainda não se pode deixar de considerar que parece haver muitos eleitores que evitam declarar publicamente sua opção por Bolsonaro, mas cujos votos podem produzir uma vantagem numérica ainda maior. O primeiro turno mostrou isso concretamente, dada a expressiva diferença de votos em favor de Bolsonaro que não foi captada em tempo pelos institutos de pesquisa.

* É PROFESSOR DE FILOSOFIA DA FAAP

Comente

Votação será de forma direta, com os sócios, mas apenas uma chapa irá participar do processo, a “Novo ABC”, liderada por Fernando Suassuna - 16/10/2018

ABC vai às urnas para eleger novo presidente no dia 25 de novembro

 Chapa “Novo ABC” terá Fernando Suassuna (à esquerda) como presidente

 O ABC realiza no próximo dia 25 de novembro a eleição para a presidência do clube para o triênio 2019-2021. A votação será de forma direta, com a participação dos sócios, mas haverá apenas uma chapa participando do pleito deste ano, a “Novo ABC”, que é liderada pelo conselheiro Fernando Suassuna.

O prazo final para registro de candidatura de chapas para concorrer à presidência do clube foi encerrado no dia 11. Dois grupos realizaram inscrição. Além da chapa encabeçada por Fernando Suassuna, o conselheiro Wilson Cardoso também se inscreveu.

Ainda na quinta-feira, após uma reunião entre os postulantes à presidência, Wilson Cardoso retirou a inscrição, ficando estabelecida a formação de uma chapa de consenso para o pleito deste ano.

Com a participação da chapa de consenso, a expectativa é de que o atual técnico da equipe, Ranielle Ribeiro, permaneça trabalhando para a temporada 2019. O ABC terá um calendário bem cheio no primeiro semestre do próximo ano, com participação no Campeonato Estadual, Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Série C do Campeonato Brasileiro.

A Junta Eleitoral analisará toda a documentação e divulgará no dia 17 de outubro se o pedido de inscrição da chapa foi deferido ou não.
Para aumentar a quantidade de pessoas com direito a voto, a atual diretoria abecedista preparou uma ação especial para que os sócios e os cessionários de cadeira cativa no Frasqueirão regularizem a situação junto ao programa Sócio Mais Querido. Fonte Agora RN.

Comente

Tradicional de cavalos quarto-de-milha, que acontece nesta terça-feira, deve gerar mais de R$ 1,5 milhão em negócios - 16/10/2018

Leilões da Festa do Boi já movimentaram quase meio milhão de reais em dois dias

 Destaques foram bovinos da raça Guzerá vendidos individualmente no leilão da Emparn por R$ 13.200,00

 As vendas de animais pelo maior lance são um espetáculo à parte dentro da Festa do Boi.

No últimos fim de semana – sábado e domingo, 13 e 14, respectivamente – os leilões da Nuleite e da Emparn comercializaram 72 lotes, levantando R$ 445 mil em negócios.

Os destaques foram bovinos da raça Guzerá vendidos individualmente no leilão da Emparn por R$ 13.200,00.

No mesmo evento, uma vaca da raça Pardo Suíço foi arrematada por Lauro Maia, um tradicional criador paraibano de Catolé do Rocha, cuja família está na atividade há 150 anos.

Segundo o leiloeiro rural oficial do RN, Eduardo Melo, 70% dos compradores nos leilões este ano são de criadores potiguares e os 30% restantes espalhados pelos demais estados nordestinos.

Há 30 anos no ramo, dos 12 leilões que promove anualmente, seis estão na Festa do Boi. “Muito pouco ainda para se viver só disso”, comenta o leiloeiro.

Ainda de acordo com o leiloeiro, em média, cada lote vendido nos leilões tanto do Nuleite como da Emparn saiu por R$ 6.105,00 e os destaques financeiros por pouco mais de o dobro disso.

Os grandes lances, porém, estão reservados para a noite desta terça-feira, 16, quando acontece o leilão da ANQM (Associação Nacional dos Criadores de Cavalos Quarto-de-Milha) quando 52 lotes são vendidos com uma expectativa de levantar até R$ 1,8 milhão em lances.

“Nesse leilões da ANQM, um único exemplar pode sair por até R$ 2 milhões”, diz Eduardo Melo.

Nesta quarta-feira, 17, o espetáculo dos lances continua com o 3º Leilão Nelore Montana Potiguar; na quinta, 18, com o Leilão Sindi Estrelas e sexta-feira, 19 com Leilão Pérolas do Nordeste e Grande Leilão Boer e Convidados de Ovinos, no Espaço da Associação Norteriograndense de Caprinos e Ovinos (Ancoc).

Ao todo, somente nesses eventos, estima-se que sejam movimentados alguma coisa entre R$ 4,5 milhões e R$ 5 milhões em negócios.

Até a sexta 19, já aconteceram e ainda serão realizados outros tradicionais julgamentos, incluindo as raças de bovinos (Pardo-Suíço, Sindi, Gir, Nelore, Gir, Girolando, Guzerá; Ovinos (Santa Inês, Dorper, White Dorper, Somalis, Soinga, Morada Nova e Cariri) e Caprinos (Boer, Anglo-Nubiana, Saanen, Toggenburg, Alpina, Bhujj, Savana e Kalarari).

Comente

No próximo ano, a alta deve ficar entre 5% e 10% - 16/10/2018

Venda de carros deve desacelerar em 2019

Por Estadão Conteúdo

 

 A indústria automobilística brasileira prevê uma desaceleração do crescimento do mercado de automóveis e comerciais leves em 2019. Neste ano, as vendas devem crescer 13%, para 2,46 milhões de unidades. No próximo, a alta deve ficar entre 5% e 10%.

Ainda assim, essa melhora vai depender da manutenção de fatores econômicos como continuidade da redução de juros, da inadimplência, da retomada da confiança de consumidores e da queda no nível de desemprego, além da aprovação do Programa Rota 2030, a nova política industrial do setor, cuja publicação continua parada no governo.

Também há incertezas na área política, como sobre a capacidade de governabilidade e de obter apoio do Congresso para aprovação de medidas do próximo presidente da República – independente de quem for eleito.

“É muito difícil prever o ano que vem sem ter um horizonte de política econômica”, disse o vice-presidente da Ford, Rogelio Golfarb. Segundo ele, ainda há pouca clareza sobre como os dois candidatos pretendem recuperar a economia e lidar com a indústria.

“A questão não é se será A ou B, mas o que A ou B vai fazer quando sentar na cadeira. O setor produtivo espera essa definição”, disse Golfarb. Ele e vários executivos do setor participaram ontem, em São Paulo, de seminário para debater as previsões para 2019, promovido pela editora AutoData.

Para o presidente da Volkswagen, Pablo Di Si, “o ritmo de crescimento vai desacelerar, mas não é desprezível”. Ele ressaltou que as fábricas de carros no ABC paulista, em Taubaté (SP) e no Paraná, além da unidade de motores em São Carlos (SP) operam com baixa ociosidade e fizeram contratações recentes.

Apesar disso, mais de 3 mil trabalhadores do grupo, segundo sindicatos de metalúrgicos, estão em férias coletivas. O motivo, explicou o executivo, é a queda de exportações para a Argentina, principal cliente da marca.

No início do próximo ano, a empresa deve anunciar novo investimento extra para a produção de um carro compacto que está sendo desenvolvido no País. Hoje, a montadora segue um plano de R$ 7 bilhões a serem aplicados até 2020, montante que inclui 20 lançamentos, dos quais 11 foram lançados nos últimos 12 meses.

Aval da matriz

O presidente da FCA Fiat Chryler, Antonio Filosa, estará nesta terça-feira, 16, em Londres, na Inglaterra, para discutir com acionistas da empresa aportes para um novo automóvel a ser produzido no Brasil (na fábrica da Jeep, em Pernambuco, ou da Fiat, em Minas Gerais).

O novo carro está inserido no plano de R$ 14 bilhões anunciado recentemente pelo grupo até 2023 – que inclui 25 lançamentos no Brasil e na Argentina, entre modernização de modelos e carros inéditos, sendo que dois deles já foram aprovados.

Apesar do plano já aprovado, a filial brasileira “não tem cheque em branco com liberdade total de gastar”, por isso precisa falar com os acionistas para aprovar cada projeto.

Filosa disse que levará todas as projeções positivas que a companhia tem sobre a economia brasileira para o próximo ano. “Não é fácil explicar sobre o Brasil, ma nosso acionista não vai desistir pois tem confiança no País”, afirmou, ressaltando que, na maior crise local o grupo investiu em uma fábrica nova (a unidade da marca Jeep, em Pernambuco, inaugurada em 2015), e que opera em três turnos.

Apesar dos números apresentados pelo setor automotivo neste ano, de crescimento de 14% das vendas totais até setembro, num total de 1,846 milhão de unidades, Golfarb, da Ford, ressaltou que a maior parte dessa alta vem das chamadas vendas diretas.

São negócios fechados diretamente pelas fábricas com clientes como locadoras e frotistas, feitas com elevados descontos. Em outubro, 42% das vendas foram nessas condições, ação considerada não saudável para os resultados financeiros das empresas. Em 2013, por exemplo, essa participação era de 24%.

Exportação

Outra preocupação para 2019 é a continuidade da queda de exportações para a Argentina, que devem ficar igual ou inferior às previstas para este ano, que já serão 8% menores que os números de 2017, segundo informou Antonio Megale, presidente da Anfavea, a associação dos fabricantes de veículos no País.

O setor de veículos pesados, que deve crescer 35% neste ano, com vendas de 86 mil unidades e produção de 120 mil, mantém ociosidade de 75%. “Em 2019 deveremos ter crescimento de dois dígitos, porém baixos”, disse Roberto Cortes, presidente da Volkswagen Caminhões e Ônibus. “É difícil ter rentabilidade mínima nessas condições.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comente

Planalto chegou a anunciar adiamento para não prejudicar o Enem - 16/10/2018

Governo decide manter começo do horário de verão em 4 de novembro

Por Marcelo Brandão/Agência Brasil

 

 O Palácio do Planalto informou nesta terça-feira (15) que o início do horário de verão será mantido no dia 4 de novembro, cancelando um novo adiamento.

Geralmente, o horário começa em outubro, mas foi adiado para novembro em virtude do segundo turno das eleições. No começo do mês, o governo federal chegou a anunciar que adiou o início do horário de verão para o dia 18 de novembro por causa de um pedido feito pelo Ministério da Educação para não prejudicar os candidatos do Enem. O exame será aplicado em dois domingos. O primeiro deles será o dia 4 de novembro.

O ministro da Educação, Rossieli Soares, já contava com o adiamento e chegou a comemorá-lo. “Candidatos terão mais tranquilidade para fazer as provas! Caso o horário de verão iniciasse no primeiro dia de provas do Enem, como estava previsto, muito provavelmente acarretaria prejuízos aos participantes”, disse nas redes sociais no início de outubro.

A negativa do Planalto ao pedido veio após estudo de viabilidade feito pelos ministérios de Minas e Energia e Transportes. Segundo a assessoria do Planalto, a análise dos ministérios concluiu a inviabilidade de nova mudança no horário de verão, sem detalhes da decisão.

Na época em que foi anunciado o adiamento para 18 de novembro, a medida foi criticada pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear). Segundo a associação, a mudança da data acarretaria “sérias consequências” ao planejamento das operações e, consequentemente, para quem adquiriu passagens antecipadamente, afetando 3 milhões de passageiros.

Ajustar o relógio

No horário de verão, os relógios devem ser adiantados em uma hora. O horário é adotado nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal.

Comente

Evento acontecerá na Casa da Indústria, no dia 22 de outubro - 16/10/2018

Edição especial do Fórum FIERN promove sabatina com candidatos ao Governo do RN

 A Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte realizará no dia 22 de outubro, uma segunda-feira, edição especial do Fórum FIERN Caminhos do RN, com os candidatos ao governo do estado, no Segundo Turno, a senadora Fátima Bezerra, e o ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo.

O evento acontecerá na Casa da Indústria e é fechado, apenas para empresários do setor produtivo potiguar. A candidata Fátima participará às 10 horas; e o candidato Carlos Eduardo às 14 horas.

No estilo sabatina, o encontro com os dois candidatos tratará de seis temas previamente definidos com as assessorias dos candidatos:

Equilíbrio Fiscal
Geração de empregos
Segurança
Política de incentivos à indústria
Segurança jurídica
Licenças ambientais Fonte Portal Noar.

Comente

Os agentes atuaram em Natal, São José de Mipibu, Tibau do Sul, Parnamirim, Macaíba, Brejinho e Baía Formosa - 16/10/2018

PF deflagra operação contra membros de facção criminosa do RN

 A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira, 16, a Operação “Narco Trucks”, com o objetivo de desbaratar um grupo criminoso que estava traficando drogas e lavando dinheiro no estado. Cerca de 90 policiais federais atuaram, com apoio do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar (PM).

Os agentes atuaram nas cidades de Natal, São José de Mipibu, Tibau do Sul, Parnamirim, Macaíba, Brejinho e Baía Formosa, cumprindo 20 mandados de busca e apreensão e 13 mandados de prisão preventiva, além de medidas de sequestro de bens e bloqueios de contas dos suspeitos.

As investigações começaram no ano passado, quando a Polícia Federal apreendeu na zona rural de Macaíba, na Região Metropolitana de Natal, aproximadamente 30 kg de cocaína, além de rascunhos e documentos da contabilidade de traficantes detidos naquela ocasião.

Elementos de provas existentes nos autos apontam que o principal alvo preso na operação de hoje seria, ainda, líder de um grupo criminoso com atuação no Paço da Pátria e apontado como fornecedor de drogas da facção Sindicato do RN.

Durante o cumprimento dos mandados, a PF também prendeu um investigado acusado de tráfico que fornecia drogas para Natal e outros municípios como São José do Mipibu, Brejinho e Tibau do Sul, além de ser um dos principais abastecedores de cocaína da praia de Pipa, no Litoral Sul Potiguar.

Os presos estão sendo indiciados e responderão pelos crimes de tráfico de entorpecentes, lavagem de capitais e organização criminosa, cujas penas máximas, somadas, podem alcançar até 33 anos de reclusão.

**Com informações da Polícia Federal

Comente

Eleições 2018 - 15/10/2018

Dilma e Lula também faltaram debates

 Foto: Edu Moraes/Divulgação/Record TV

O líder nas pesquisas de intenção de voto, Jair Bolsonaro (PSL), não descartou a possibilidade de faltar aos próximos debates, ainda que sua equipe médica o libere. Com a saúde sob cuidados e ainda “carregando” um bolsa intestinal, após atentado, que só poderá ser retirada em cirurgia entre o fim do ano e o início de 2019, o capitão tem sido alvo de crítica dos petistas. Contudo, a ausência de debates não é incomum, e também foi adotado pelo partido de Fernando Haddad em outras eleições.

Em 2006, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que disputava a reeleição, deixou de participar, no primeiro turno, do debate promovido pela TV Globo. Ao lado da cadeira vazia de Lula, os então candidatos do PSDB, Geraldo Alckmin, do PSOL, Heloísa Helena, e do PDT, Cristovam Buarque, encontraram a porta aberta para duras críticas ao petista. Lula foi chamado pelos adversários de “corrupto”, “traidor” e “covarde”.

Três horas antes do início do debate, Lula justificou sua ausência em carta enviada à emissora. Para o então presidente e líderes petistas, não participar do debate seria menos arriscado do que virar alvo de todos os adversários. “Não posso render-me à ação premeditada e articulada de alguns adversários que pretendiam transformar o debate desta noite em uma arena de grosserias e agressões, em um jogo de cartas marcadas”, alegou Lula, na carta.

A ex-presidente Dilma Rousseff também faltou a debates. Em 2010, quando disputou a primeira vez o Palácio do Planalto pelo PT, Dilma faltou ao embate promovido no primeiro turno pela TV Gazeta em parceria com o jornal “O Estado de S.Paulo”. Os então candidatos do PSDB, José Serra, do PV, Marina Silva, e do PSOL, Plínio de Arruda Sampaio, também fizeram a petista de principal alvo de críticas. Dilma foi chamada de “blefe”, candidata “inventada” e “invenção marqueteira”. Para justificar sua ausência, a então candidata alegou outros compromissos de campanha já acertados. Além do debate da TV Gazeta, Dilma também deixou de participar de embates promovidos pelas TV Canção Nova e Rede Aparecida de TV — em parceria — e pelos portais IG, MSN, Terra e Yahoo!

Quatro anos depois, a petista voltou a lançar mão da cadeira vazia. Em busca da reeleição, Dilma desistiu de participar no primeiro turno do embate presidencial promovido pela TV Cultura e o “Estado de S.Paulo”. A então candidata pelo PSB, Marina Silva, também anunciou que não compareceria. O debate acabou sendo cancelado.

Com informações de O Globo

Comente

Futuro Governo do RN - 15/10/2018

Novo governador do RN vai herdar estado sem caixa para cobrir despesas

O novo governador do Rio Grande do Norte vai herdar um estado sem caixa para cobrir as despesas contratadas neste ano em razão da queda na receita tributária.

O cenário é o mesmo para mais sete unidades da federação. A situação é juridicamente complicada para os governadores, já que a Lei de Responsabilidade Fiscal proíbe restos a pagar sem previsão de receita para cobrir as despesas.

Os dados são do economista Raul Velloso, segundo quem a situação mais dramática é a do Rio de Janeiro. Além dele, e do RN, estão na lista Minas Gerais, Distrito Federal, Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul.

Comente